Entenda mais sobre ventilação cruzada

Durante a elaboração de um projeto para construção civil, ventilação é fator que pode determinar, entre outros, o valor que será pago na conta de luz, no fim do mês. Um arquiteto não pode deixar de prestar atenção nas entradas e saídas de ar em uma construção para assim, identificar de que forma será trabalhada a ventilação cruzada na obra.

Para quem está em fase de acompanhamento do projeto da casa nova, vale prestar atenção e perguntar sempre para o profissional responsável, claro que com cautela, de que forma será trabalhada a ventilação. Além da entrada e saída de ar, a ventilação cruzada vai proporcionar também a troca constante e, como benefícios, resultará em melhor conforto térmico controlável, economia de ar condicionado, ambientes salubres, entre outros pontos.

“Nem sempre a direção do vento é de fundamental importância para se trabalhar com a ventilação cruzada, pois para isso é necessário identificar qual é o vento predominante da região”, alerta Gabriel Pontes, arquiteto e coordenador técnico da Eternit. Ele ainda comenta sobre o aproveitamento do pé direito da construção para obter ventilação cruzada: “Quanto mais alto for o pé direito, mais espaço haverá para esse ar quente permanecer no ambiente sem incomodar as pessoas que nele estão. Porém, em algum momento a circulação de ar será necessária. Se o ar já está lá em cima e houver uma abertura tipo clarabóia no ático, ele terá por onde sair abrindo espaço para novo. Quando o ar tem uma saída, automaticamente ele puxa ar renovado para dentro.”

Para entender o funcionamento das ventilações cruzadas, vale prestar atenção no exemplo elaborados, como ilustração do mecanismo:

• Entre numa sala com duas janelas, uma em cada parede (independente da posição e direção do vento);
• Feche as duas janelas;
• Depois de alguns minutos abra apenas uma janela.

• Em um primeiro momento, você sentirá o ar entrando e uma instantânea melhora no ambiente, mas por ser uma área restrita, logo a seguir não haverá mais espaço para o ar renovado no ambiente. Para se ter sempre o vento fresco é necessário fazer com que este, que já está no ambiente saia.

• Agora abra a segunda janela. Haverá uma circulação maior e mais frequente de ar no ambiente (de fazer papel voar!).

• A intensidade dessa ventilação poderá ser controlada abrindo mais ou menos uma ou outra janela.

Embora o exemplo tenha sido com janelas, a ventilação cruzada pode ser proporcionada por qualquer tipo de abertura ou elemento construtivo, como portas, blocos ou elementos vazados, clarabóias ou telhas de ventilação nas coberturas.


Esta entrada foi publicada em Arquitetura. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Captcha Captcha Reload

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>